sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Moção de Apoio (16)

A Direção do Centro Acadêmico de História - Sergio Barreira, da Universidade de Brasília (CAHIS/UNB) vem através desta tornar público o seu apoio à luta dos estudantes e à ocupação da Reitoria da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul .

Suas reivindicações, tão similares com as que tivemos quando da ocupação da Reitoria da UnB, demonstram que cada vez mais a luta do Movimento Estudantil é uma luta de toda a sociedade contra a corrupção e o descaso com a Educação promovido por um pequeno grupo que se aproveita de seus cargos para enriquecer ilicitamente e praticar nepotismo.

Vemos como a melhor solução para esses problemas uma participação igualitária de todos os segmentos da Universidade nos processos decisórios, o que será conseguido somente com a implantação da paridade dentro de todas as instâncias deliberativas das Universidades, mas principalmente na eleição pra Reitor. Essa melhor distribuição do processo decisório evitará que uma minoria continue a perpetuar seus interesses em detrimento dos interesses coletivos.

Saudamos ainda que os ocupantes estão zelando pelo patrimônio da Universidade, ocupando sem depredar, mostrando que Movimento Estudantil não é coisa de “jovem arruaceiro e baderneiro”.

“OCUPA, OCUPA, OCUPA E RESISTE”

Direção do Centro Acadêmico de História Sergio Barreira – CAHIS
Universidade de Brasília – UNB
Gestão Chapa Coco

Um comentário:

Caviar com Pingadinho disse...

Bom dia companheiros,

Gostaria de iniciar meu comentário citando uma linda frase de um grande cúmplice da causa social, Ernesto Che Guevara, dizia ele: "(...) a universidade deve ser flexível... deve se pintar de negro, de índio, operário e camponês. Ou então ficar sem portas; para que o povo possa invadi-la e pintá-la com as cores que ele quiser".

Partindo desta premissa, parabenizo e conclamo mais estudantes a participar desta iniciativa intentada pelos acadêmicos da referida instituição de ensino. Além disso, reitero e parafraseio as palavras de Che e digo: Se a UFMS não abrir as portas para uma discussão saudável da política estudantil, que se faça por meio do suor e do sangue de vocês, homens e mulheres, que se lançam a busca de dias melhores na educação.

E por fim, deixo aqui relatos do que um dia foi à ditadura estudantil na Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT, onde não se podia votar igualmente, havia taxas até para ir ao banheiro e cotas era algo para o terceiro mundo, menos para o Brasil. Contudo, eles (o Estado, por intermédio dos administradores da instituição) não contavam com a mobilização dos estudantes e nos anos de 2001/2003 todas estas aberrações da natureza na política estudantil foram extirpadas do processo eleitoral daquela instituição, mas isso não foi da noite para o dia, precisou manifestar da mesma forma que vocês hoje fazem aí na UFMS. Naquela época e atualmente a UNEMAT é uma das únicas universidades públicas com um processo eleitoral e o ensino mais público e democrático do Brasil e, que isso sirva de exemplo para esta empreitada de vocês.

Com carinho:
Belgrano Anacleto de Souza
(Bacharel em Direito pela Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT, Bacharelando em Teologia, Pós-graduando em Direito Público e Funcionário Público do Estado de Mato Grosso).

http://www.caviarcompingadinho.
blogspot.com/